Um singular estudo científico sobre discurso, processamento auditivo e fortalecimento da atenção com Forbrain®


RELATÓRIO SÍNTESE
 

por Carles Escera, PhD, Professor Instituto do Cérebro, Cognição e Comportamento (IR3C) e Departamento de Psiquiatria e Psicobiologia Clínica da Universidade de Barcelona


Introdução

Forbrain® é um dispositivo fácil de utilizar, que usa condução óssea e uma série de filtros dinâmicos para dar ao seu utilizador o feedback da sua própria voz, de forma a otimizar todos os componentes do circuito de áudio-vocal melhorando assim, a percepção auditiva. Tem sido sugerido que o dispositivo pode aumentar a fala, a fluência, memória, atenção, coordenação e muitas outras funções sensoriais, resultando em vários melhoramentos na psicológica (cognitiva) / domínio emocional.

O presente estudo de caso é a primeira tentativa de testar a hipótese de que Forbrain® de facto induz alterações plásticas no cérebro por pelo menos dois mecanismos neurais independentes, mas relacionados:

  1. desafiando o loop áudio-vocal através do sinal de fala modificado levando a um ambiente acústico enriquecido, resultando em plasticidade auditiva, e
  2. forçando os mecanismos executivos de controlo da atenção para lidar com os sinais de atenção involuntários, provocados pelos diferentes inputs de discurso.

O resultado final de todos estes processos pode ser o reforço dos mecanismos de execução de controlo da atenção, resultando numa melhor concentração, maior  resistência aos fatores de distração, nas melhorias na capacidade de memória de trabalho e na sensação de maior foco.

 

Protocolo

Nesta pesquisa prova-de-conceito, um estudo do caso individual (21 anos, sexo feminino saudável) foi realizado para determinar que mecanismos e mudanças poderiam ser detectados após cinco sessões de quinze minutos com Forbrain® usado em dias consecutivos, acrescendo mais um dia de acompanhamento, três dias depois. Especificamente, a pesquisa foi projetada para olhar para o suposto mecanismo neural que desafia o loop áudio-vocal, através do sinal de fala modificado, levando a um ambiente acústico enriquecido, resultando em plasticidade auditiva. Além disso, pesquisou-se se o foco poderia ser melhorado, forçando os mecanismos executivos do controlo da atenção, para lidar com sinais de atenção involuntários provocados por desfasamentos nos inputs de discurso.

Medições foram feitas antes da utilização, durante a utilização e após a utilização incluindo métricas sobre a qualidade da voz, a excitação emocional, medida pelo condutância da pele e da frequência cardíaca e , entre outras coisas, a resposta neurológica à distração (teste ATT).

A discriminação auditiva da fala (teste AUD) foi medida por um teste que olhou para o acústico (frequência fundamental e intensidade) e mudanças fonológicas  ( identidade da vogal e duração).

 

Processo de avaliação

O procedimento foi o seguinte:

  1. Quantificações iniciais foram feitas em quatro séries consecutivas, alternando AUD e testes ATT, com uma duração total de 80 minutos.
  2. Quantificações iniciais dos parâmetros de qualidade de voz e excitação emocional foram obtidos durante a leitura durante 7 minutos, enquanto usando os Forbrain® em modo desligado.
  3. Durante uma sessão de cerca de 15 minutos de duração, a qualidade de voz e os parâmetros de excitação emocional foram gravados durante a leitura com os  Forbrain® ligados.
  4. Depois de usar Forbrain®, novas medições de qualidade de voz e parâmetros de excitação emocional foram obtidos durante uma leitura de 7 minutos adicionais, enquanto usando os Forbrain® em modo desligado.
  5. A sessão de medição pós-tratamento completo (após o uso dos Forbrain®), incluindo quatro medições, alternando séries consecutivas do AUD e testes ATT com duração de 80 minutos foi finalmente realizado.

Este mesmo cronograma foi repetido em cinco dias consecutivos, com um total de 75 minutos de uso dos Forbrain®.

 

Resultados

O presente estudo foi desenhado para testar cientificamente se o uso dos Forbrain® teve quaisquer efeitos cognitivos positivos. Para testar esses efeitos, um design sofisticado que foi implementado registou respostas comportamentais, psicofisiológicas e cerebrais antes, durante e após a utilização dos Forbrain® por 15 minutos em cinco dias consecutivos, além de um dia de acompanhamento. Os dados foram analisados ​​por meio de métodos estatísticos quantitativos adequados para estudos de caso único (Manolov et al, 2014;.. Shadish et al, 2014A;. Shadish et al, 2014b) e os resultados obtidos revelaram efeitos significativos em todos os três níveis de análise: comportamental (qualidade de voz), psicofisiológica (excitação emocional) e neuronal (ativação da rede cerebral de controlo da atenção). Especificamente, os resultados podem ser resumidos da seguinte forma:

  1. Depois de usar os Forbrain® durante 15 minutos, a activação da rede cerebral da atenção involuntária foi atenuada. Esta opinião é corroborada pelas amplitudes atenuadas de todos os componentes da distração potencial (N1-realce, novidade-P3, negatividade reorientada) e indica que Forbrain® pode reforçar os mecanismos de controlo executivo da atenção e proteger da distração, resultando numa melhor concentração, pelo menos durante os 80 minutos seguintes, quando as medições de utilização pós-Forbrain® foram feitas.
  2. Durante a utilização de Forbrain® há um aperfeiçoamento no despertar emocional em curso. Esta opinião é corroborada pelas diferenças estatisticamente significativas na frequência cardíaca e condutância da pele, entre as medições feitas durante a leitura sem os Forbrain comparando com as medições feitas durante a leitura, enquanto estiver a usar os Forbrain®. Como não foram encontradas diferenças entre as medições feitas durante a leitura, utilizando Forbrain® e pós-utilização, estes efeitos, pelo menos em relação à resposta da condutância da pele, permanecem no curto período de sete minutos de medições pós-utilização.
  3. Durante a utilização dos Forbrain®, e, pelo menos, durante o período de sete minutos subsequentes, a qualidade da voz melhora, em consequência da utilização deste equipamento.

A pesquisa é, naturalmente, sujeita às limitações de um projeto único de caso e tem generalização limitada. No entanto, como um primeiro passo na pesquisa dos efeitos de um uso limitado dos Forbrain, os resultados sugerem que existe uma base real para as alegações de que Forbrain pode melhorar a qualidade da voz e os mecanismos de atenção e memória.

Os resultados sugerem que Forbrain® poderia ser útil para melhorar o foco em quem tem distúrbios de atenção, tais como ADHD, e aqueles que têm dificuldades com a produção da fala e do processamento auditivo. Além disso, qualquer melhoria na atenção, como foi demonstrado neste estudo, poderia ter benefícios na memória, foco e fluência.

 

 

 

As fotos ilustram as séries temporais das 48 medições realçando N1 e a ultima novidade - P3, divididos por dias de gravação e séries de tratamento pré e pós Forbrain.
Este medidas mostram atenuação significativa da distração.

Mais pesquisas devem ser realizadas para compreender plenamente o alcance e a abrangência dos efeitos Forbrain®.
O relatório completo da pesquisa será publicado numa revista científica. Vamos publicá-lo no nosso site brevemente.


Faça o download do relatório síntese aqui

Chat ao vivo off-line